Preços baixos no Paraguai “estão matando comércio argentino das fronteiras”

18 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

A diferença de câmbio, os impostos mais elevados e o custo da mão de obra estão matando o comércio argentino nas cidades de fronteira com o Paraguai.

Reportagem do jornal argentino La Nación, de domingo (17), com o título “Contrabando formiga: a lenta agonia das cidades de fronteiras”, mostra que, em 2016, nada menos que 11.630.901 pessoas fizeram a travessia (ida e volta) pela ponte que liga Posadas, cidade de 344 mil habitantes, à cidade paraguaia de Encarnación, a fronteira mais movimentada entre os dois países.

A média diária, portanto, é superior a 31 mil pessoas, número próximo ao que se verifica na Ponte da Amizade, que por sinal é a fronteira mais movimentada entre Brasil e Paraguai.

Posadas é uma cidade de 344 mil habitantes, que recebe milhares de argentinos vindos de outros pontos do país justamente para atravessar a ponte para Encarnación, que tem pouco menos de 128 mil habitantes.

A grande maioria das pessoas que vão a Encarnación quer aproveitar a diferença de preços entre os produtos adquiridos do outro lado da fronteira, que podem valer menos da metade do que na Argentina.

A concorrência já fez com que, só este ano, cerca de 400 lojas de Posadas fechassem as portas. O mesmo está ocorrendo em outras cidades de fronteira da Argentina com o Paraguai, como Clorinda, segundo o La Nación.

Encarnación tem semelhanças com Ciudad del Este, inclusive pela presença de comerciantes de origem chinesa e árabe. “Nós aprendemos com eles”, disse um comerciante paraguaio, Alfredo Silveyra, ao repórter do La Nación.

E contou também mais uma razão para os preços no Paraguai serem mais baixos. Além de fatores como os custos da mão de obra, impostos e taxas aduaneiras, os comerciantes de Encarnación também abrem mão de lucros altos. Ele, que viaja duas vezes por ano à China para fazer compras, disse que se contenta com um lucro de 20%, enquanto os comerciantes argentinos remarcam em 100% os preços dos mesmos produtos.

Ganância

Para os compradores argentinos, as causas para a diferença de preços não são importantes, e sim aproveitar aquilo que é mais barato, diz a reportagem do La Nación, assinada por Nicolás Cassese.

Leia mais…

Papa Francisco recebe paraguaia, no Vaticano, e pergunta: “Você trouxe chipa?”

16 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

A mão que se estende é a da paraguaia María Carmen del Barrios,

O papa argentino Francisco conquistou certamente mais alguns milhares de católicos paraguaios com uma sacada simpática, ao receber uma paraguaia na audiência geral do Vaticano, na quarta-feira (13), como relata neste sábado (16) o jornal La Nación.

No momento de saudar o papa, María Carmen del Barrios, da Companhia de Santa Tereza de Jesus, disse a ele que era uma “mulher paraguaia”. O papa parou, apertou sua mão e, espontaneamente, perguntou: “Você trouxe chipa?”

O papa tem uma simpatia especial pelas mulheres paraguaias, porque, segundo ele, foram elas que levantaram o país depois da guerra contra a Tríplice Aliança (Brasil, Argentina e Uruguai).

“A mulher paraguaia sente que tem que levantar o país, defender a fé, sua cultura e sua língua, e conseguiu isso. A qualquer custo, ela defendeu os seus e repovoou o país. Para mim, é a mulher mais gloriosa da América”, disse o papa Francisco, em janeiro deste ano.

Veja o simpático vídeo do encontro da paraguaia com o papa:

Má fama: Reni cai e ninguém quer acreditar

16 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Imagem: Pixabay

Publicada em vários locais, inclusive aqui no Não Viu?, a notícia de que o ex-prefeito Reni Pereira havia sofrido uma queda em casa e, por causa disso, chegou a perder a memória recente, provocou espanto, dúvida, perplexidade e risos nas redes sociais. Nenhuma solidariedade.

A primeira reação foi descrença com a notícia. Depois de convencidos de que a notícia era verdadeira, as reações mais comuns foram de desacreditar a questão da perda de memória.

Alguns comentários na postagem da Rádio Cultura Foz:
Ah tá!
– Caiu? Ou tá se fazendo?
– Comédia isso!
– Logo a perda de memória?
– É verdade, gente, parece que ele tropeçou em um maço de dinheiro. 

Aqui no Não Viu? os comentários foram parecidos. Veja alguns:
Sensacionalista, só pode!
– Ah, tá (ou, na linguagem de Facebook, Atá)
– Será mesmo, conta outra.
– Vai no UPA.

Chile ficou pra trás; Paraguai lidera crescimento econômico na América Latina

16 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Leia mais...

Paraguai ainda busca corpos de vítimas da ditadura de Stroessner

16 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Foto: Agência IP

A partir de outubro, será retomada a busca dos desaparecidos durante a ditadura do general Alfredo Stroesser, que governou o Paraguai com mão de ferro por 35 anos, entre 1954 e 1989 (ele morreu no exílio, em Brasília, em 2006).

O governo vai custear parte do trabalho de escavações, exumações e investigações, segundo o diretor de Memória Histórica e Reparação do Ministério de Justiça, Rogelio Goiburú, informa a agência de notícias paraguaia IP.

Goiburú diz que os corpos foram colocados em valas comuns, em 12 lugares específicos dos departamentos de Caaguazú, Caazapá e Itapúa. “Não sabemos quantas vítimas encontraremos, mas o primordial é recuperar os corpos para sua posterior identificação”, afirma.

Depois de anos de busca, os corpos desses desaparecidos foram entregues às famílias em fevereiro deste ano. Foto: IP

Depois de exumados, os corpos serão enviados à Equipe Argentina de Antropologia Forense, com quem os paraguaios trabalham em conjunto há vários anos.

Os argentinos já contam com um banco de dados genéticos de familiares das vítimas, que atualmente conta com cerca de 300 pessoas registradas. O objetivo é estender essa base de dados para 1.200 mostras, para poder identificar os corpos que já estão à espera de seus familiares.

A lista de detidos e desaparecidos durante a ditadura de Stroessner soma mais de 500 pessoas, mas o número deve aumentar à medida que prosseguem as investigações, especialmente no interior do país.

“Ainda aparecem casos de famílias que, por medo, não fizeram denúncias até hoje sobre esses desaparecidos”, diz Goiburú.

Natal de Foz, um produto de parcerias

15 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Detalhe de decoração. Foto: Alexandre Marchetti

Itaipu distribuiu no final da tarde desta sexta-feira (15) um press-release sobre a programação do Natal de Foz, resultado de diversas parcerias. É graças a isso que a cidade terá dois locais de festa, um no centro, na Praça da Paz, e outro no Gramadão da Vila A.

Os principais parceiros são a Prefeitura e a Itaipu, que entraram com maior volume de recursos e com o trabalho “pesado”. O press-release da Prefeitura, de ontem, dava a entender que apenas os órgãos municipais botavam a mão na massa e no dinheiro.

Confira o press-release de Itaipu:

O Natal de Foz do Iguaçu já tem data para começar. A programação tem início no dia 30 de novembro e segue até o dia 23 de dezembro, com atrações em dois pontos da cidade: Praça da Paz, anexa à Praça Getúlio Vargas, e o Gramadão da Vila A. O calendário foi definido por uma comissão organizadora, que integra vários parceiros.

Além dos shows e apresentações culturais, haverá decoração especial e iluminação do corredor turístico formado pelas avenidas Brasil, Jorge Schimmelpfeng e das Cataratas – entre outras. A iluminação vai ressaltar as cores natalinas (verde, vermelho e branco) e ficará acesa até o dia 6 de janeiro, Dia de Reis.

Outro destaque da festa será a Árvore Wifi, na Praça da Paz, que oferecerá ao público acesso gratuito à internet. A programação cultural deve contar ainda com apresentação da Orquestra Sinfônica do Paraná e espetáculo de fogos de artifício.

Também para turistas

Leia mais…

Ex-prefeito Reni Pereira cai de 4 metros, bate a cabeça e perde memória recente

15 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Foto: Rádio Cultura Foz

O ex-prefeito Reni Pereira caiu e perdeu a memória, noticia o G1.

O advogado de Reni, Victor Sprada, disse que o prefeito caiu de uma altura de quatro metros, aproximadamente, na casa dele. Na queda, bateu a cabeça e aparentemente perdeu a memória recente.

“Ele não lembrava que tinha ocorrido a queda, por exemplo”, disse o advogado, de acordo com o G1.

Explicou ainda: “Ele ficou inconsciente decorrente do traumatismo. O trauma causou dores e dificuldades de locomoção”.

O ex-prefeito está internado para avaliação médica.

O acidente de Reni suspendeu as sessões da Operação Pecúlio marcadas para esta sexta-feira (15). Das oito testemunhas de defesa, só uma foi ouvida.

Os últimos suspiros de um inverno ameno

15 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Leia mais...

Sorria, na BR-277 você também está sendo filmado!

15 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

Foto: PRF

Vale o alerta: as mais de 50 câmeras de videomonitoramento instaladas no trecho da BR 277 entre Foz do Iguaçu e Guarapuava estão fazendo a festa.

Neste ano, só na região de Cascavel, 135 condutores já foram flagrados utilizando, manuseando ou segurando o aparelho celular.

Ainda este ano, na mesma região, as câmeras flagraram 576 motoristas e 1.381 passageiros sem o cinto de segurança, segundo informa a Polícia Rodoviária Federal.

A falta de uso do cinto de segurança pelo passageiro ou pelo condutor do veículo caracteriza uma multa no valor de R$ 195,23 e cinco pontos na CNH. No caso de crianças, o não uso do sistema adequado de retenção gera uma multa no valor de R$ 293,47 e sete pontos na CNH do condutor do veículo.

Já a multa para quem dirige falando ao celular é de natureza média, e tem o valor de R$ 130,16 e quatro pontos na CNH. Mas o condutor que dirige manuseando ou segurando o aparelho celular (utilizando whattsApp, por exemplo) está sujeito a uma multa gravíssima, valor de R$ 293,47 e sete pontos na CNH.

Comerciantes se queixam de concorrência desleal com Feira Itinerante

15 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

“A gente apanha que nem cavalo velho para conseguir um simples alvará e, agora, a prefeitura autoriza a instalação de uma feira que veio de fora. Como eles conseguiram isso tão rápido?”.

Pelo desabafo, transcrito acima, dá pra sentir a indignação de alguns comerciantes de Foz do Iguaçu no tocante à Feira Itinerante que está sendo instalada, com autorização da Prefeitura de Foz do Iguaçu, nas proximidades do hipermercado Big, na Avenida JK.

Segundo o blog Não Viu? apurou, quem paga impostos (elevados, diga-se de passagem) e dá empregos na cidade se queixa, principalmente, de concorrência desleal.

O sindicato da categoria já está questionando a prefeitura.

A Acifi informou ao Não Viu? que protocolou na prefeitura, agora há pouco, um oficio, junto com o Sindolojas, no qual pede explicações sobre a feira.

A queixa deles não é nova e nem restrita a Foz: a imprensa já vem noticiando, desde 2013, a concorrência desleal com essas feiras.

“Feiras itinerantes que percorrem várias cidades do interior de São Paulo estão causando polêmica entre os comerciantes, que dizem que a concorrência é desleal”, diz uma reportagem do G1 daquele ano.

 

Comus: o conselho que não dá bons conselhos?

15 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

Foto: AEN

Hoje (15) , no programa Contraponto da Rádio Cultura, o radialista e advogado Nelso Rodrigues fez uma coerente análise sobre a questão da contratação da empresa Cristalink para a realização de cirurgias de catarata em Foz do Iguaçu.

O contrato, no valor de cerca de R$ 3 milhões, está sendo questionado pelo Conselho Municipal de Saúde (Comus) com uma virulência desproporcional aos benefícios que está trazendo para a comunidade.

Até agora, mais de cinco mil cirurgias de catarata foram feitas pela empresa por um custo bem menor do que o cobrado pelas clínicas particulares.  A Cristalink cobra cerca de R$ 950,00 por cirurgia. Já as clinicas particulares cobram cerca de R$ 10 mil.

Hoje, Nelso levantou a grande possibilidade de o conselho estar sendo usado politicamente. A explicação do Não Viu?: acusações desse tipo rendem uma mídia enorme. Mas, curiosamente, o presidente do conselho, Sadi Buzanelo, segundo foi noticiado pelo jornal Gazeta Diário na edição de 9 de setembro, não quis comentar as acusações de que ele divulgou o relatório do  Comus “antes que houvesse manifestação conclusiva dos demais integrantes do conselho”.

Estranho, não?

Muito mais estranho é a vontade de interromper intempestivamente as cirurgias. Quem ganha com isso? Aqueles que querem exposição na mídia visando a eleição do próximo ano? Pode ser.

Mas, com certeza, quem perde são as centenas, ou milhares, quem sabe?, de pacientes que sofrem com a doença e quase estão ficando cegos.

Nessa história toda, o que dá para se concluir é que o que houve é a falta de simples ajustes de procedimentos burocráticos,  pois não se viu, até agora, apropriação indevida de grande quantidade de recursos públicos, como foi apontado na gestão do ex-prefeito Reni Pereira, debaixo dos olhos do Comus.

Mas, a se comprovar irregularidades, que os responsáveis sejam punidos, porém, até que isso ocorra, as cirurgias são essenciais para a população mais carente.

 

Tem Natal de rua em Foz sem Itaipu?

15 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Leia mais...

Polícia argentina prende quadrilha que fraudava roletas em cassinos

15 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

A polícia da Argentina prendeu uma quadrilha especializada em fraudar roletas de cassinos, um pouco antes de agir num estabelecimento de Puerto Iguazú.

A investigação começou depois de uma denúncia feita por um cassino de Alem, no norte da província de Misiones, que apontava a atuação de dez pessoas.

Elas alteravam as roletas eletrônicas e ganhavam, em poucas horas, muito dinheiro. Só em Alem, o prejuízo foi de 80 mil pesos (uns R$ 20 mil), numa única ação).

Em Puerto Iguazú, a polícia capturou parte do bando dentro de um cassino, em plena ação, e outra nas imediações.

A ação era simples: os vigaristas tomavam conta de uma roleta eletrônica, que tem capacidade para oito jogadores, e um deles alterava o funcionamento da máquina.

Presume-se que eles se alternavam dentro dos cassinos, para não despertar suspeitas (por isso, parte do grupo estava fora e outra em operação).

Fonte: La Voz de Cataratas

Paraguaios não usam mais Paranaguá por culpa de Requião. Sorte deles

15 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Cargas que iam a Paranaguá agora vão por hidrovia, que também trazem cargas dos portos onde há o desembarque. Paraná perdeu. Foto: Hidrovia do Rio Paraguai

O jornal Gazeta do Povo traz hoje uma história interessante: o senador Roberto Requião é persona non grata no Paraguai, mas,, por uma posição equivocada dele, contribuiu “para a onda de progresso econômico vivida pelo país vizinho nos últimos anos”.

E, de quebra, prejudicou fortemente o Paraná com a mesma decisão que, inicialmente, foi um soco na cara dos paraguaios.

Explica-se: em 2003, quando era governador, Requião assinou decreto proibindo a exportação de produtos transgênicos pelo Porto de Paranaguá. “Da noite para o dia, centenas de caminhões paraguaios repletos de soja ficaram à deriva, sem ter onde despejar as cargas”, diz a Gazeta.

Afinal, “tudo era transportado por caminhão até Paranaguá”, como lembra Juan Carlos Muñoz Menna, presidente do Centro de Armadores Fluviais e Marítimos do Paraguai.

Rio Paraguai, a saída

No desespero, o Paraguai comprou dos americanos embarcações usadas no Rio Mississipi e passou a fazer o transporte de barcas pelo Rio Paraguai, usando portos da Argentina e Uruguai para escoar a produção.

“Ficamos com muita raiva do Requião, mas, ao final, aquilo foi a redenção. Se não tivesse acontecido o bloqueio, talvez o Paraguai ainda levasse muito tempo para descobrir sua vocação fluvial”, avalia Juan Carlos Muñoz Menna.

Já o empresário brasileiro Breno Bianchi, radicado no Paraguai há 40 anos, guarda de Requião apenas ódio. “Ele ferrou com meio mundo por aqui, quebrou metade do Paraguai, principalmente pequenas empresas e cooperativas”, diz Bianchi.

O ódio não é à toa. “Eu quebrei. Dos oito silos que tinha, precisei vender sete para pagar dívidas com fornecedores e produtores rurais. Foram-se os anéis, ficaram os dedos. Mas houve dezenas de empresas que quebraram e não conseguiram mais voltar ao mercado”, resume Bianchi.

Redenção

O pesadelo inicial provocado por Requião mudou a logística de transporte paraguaia. De 1988 a 2010, o transporte fluvial de mercadorias saltou de 700 mil toneladas por ano para 17,4 milhões de toneladas. Atualmente, 96% do que o Paraguai produz é exportado por hidrovia.

E o Paraná? Ferrou-se também. Diz a Gazeta: “Na época do bloqueio de Requião, cerca de 400 caminhões chegavam a cruzar diariamente a fronteira pela Ponte da Amizade rumo ao Porto de Paranaguá, no pico da safra. Para reduzir custos, eles voltavam ao Paraguai transportando calcário, cimento, fertilizantes, materiais de construção, máquinas e equipamentos. Essa logística foi quebrada”.

“As barcaças que vão hoje para a Argentina e o Uruguai voltam com um montão de produtos que no passado vinham do Paraná. O estado perdeu muito também”, aponta Breno Bianchi.

O choro da soldada Sheila gera inquérito e tenente mostra todo o diálogo entre eles

15 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Sheila e Gisele, as soldadas.

Você lembra de Sheila, aquela soldada da Polícia Ambiental de Foz do Iguaçu que postou vídeo onde, às lágrimas, queixava-se de ter sido rudemente tratada por um superior?

Aqui no Não Viu? tínhamos até esquecido do caso, mas o diligente repórter Adelino Souza, da Gazeta Diário, foi atrás para saber o que aconteceu com ela e com seu superior.

Aos fatos que ele apurou. A desavença narrada pela soldada é hoje alvo de um inquérito aberto pelo comando da Polícia Militar, que vai apurar todas as circunstâncias.

Em seu texto, Adelino lembra que a discussão ocorreu na sexta-feira, no Parque Nacional do Iguaçu, onde Sheila prestava serviço.

Em vídeo publicado no WhatsApp e no Facebook, reproduzido por vários blogs (inclusive este), Sheila contou que foi humilhada publicamente pelo seu comandante, tenente Rildo Kops (no vídeo, não dá pra entender o nome).

Segundo ela, Kops chegou à paisana e reclamou do atraso ao serviço dela e da outra soldado que aparece no vídeo. “(Ele) determinou para eu ficar em posição de sentido e mandou eu enfiar o rabinho entre as pernas, esse termo, ‘rabinho entre as pernas’, para falar com ele”, chorou Sheila.

Versão do tenente
O tenente Rildo Kops Neto também se pronunciou vias redes sociais, pedindo inicialmente desculpas por envolver o nome da corporação na polêmica.

Ele conta que foi ao Parque Nacional do Iguaçu depois de receber o telefonema de seu comandante, que havia ido ao local e constatado que os policiais escalados para patrulhamento estavam tomando chimarrão na companhia e conversando, ao invés de trabalhar.

O tenente diz que foi às trilhas das Cataratas e não encontrou os policiais de serviço. Ligou para a soldada Sheila e a chamou para o local onde estava. Ela veio acompanhada da soldada Gisele.

A discussão prosseguiu e, na parte do “rabinho entre as pernas”, foi assim que o tenente reproduziu o que disse: “Na minha vida eu aprendi a duras penas que, quando se erra, o melhor a fazer é colocar o rabinho no meio das pernas, aceitar o erro e aprender com ele.” (veja o diálogo completo abaixo, na versão do tenente).

São, portanto, duas versões. O choro de Sheila comoveu meio mundo. A explicação do tenente traz uma ponderação diferente da bronca exporta pela soldada. Talvez tenha ainda a versão de Gisele, que aparece no vídeo de Sheila, parece concordar com tudo, mas não se manifestou.

Esperemos que o inquérito policial militar consiga chegar à verdade e faça justiça. Mas vale destacar ainda, como o fez Adelino, que ambos, o tenente e a soldada, “sempre prestaram um bom serviço na corporação”.

Ele “participa ativamente no combate à caça e à pesca predatórias na região. Ela evitou um assalto em Cascavel e foi baleada, recebendo uma condecoração por sua coragem”.

Ambos merecem respeito. Um deles errou. Mesmo que um deles tenha errado, que não haja excesso de rigor na pena imposta, se for o caso de penalidade. A imagem da corporação não foi manchada por isso.

A 5ª Companhia Ambiental, onde o tenente está há cinco anos e Sheila há um, merece todo o nosso respeito, independentemente de querelas que podem ser resolvidas com diálogo.

Em resposta ao vídeo de Sheila, o tenente reproduziu o diálogo que gerou a controvérsia. Confira.

O diálogo completo, relatado pelo tenente

Leia mais…

Caso Cristalink: dispensa ou inexigibilidade de licitação? Eis a questão

14 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

A pendenga jurídica entre o Conselho Municipal de Saúde (Comus) e a secretária de Saúde de Foz, Inês Weizemann, envolvendo a contratação, quando Inês era prefeita, dos serviços da empresa Cristalink Serviços Médicos Ltda – EPP,  ganha um novo documento.

Enquanto o Comus aponta irregularidades na contratação por, entre outras acusações, dispensa de licitação, a secretária de Saúde encaminhou um ofício ao próprio conselho e ao prefeito Chico Brasileiro, datado de 6 de setembro, justificando a forma como a empresa foi escolhida.

Segundo o documento a que o Não Viu? teve acesso, Inês esclarece que não houve dispensa de licitação, mas sim, inexigibilidade de licitação. A diferença entre os dois procedimentos, grosso modo, seria a seguinte:

A dispensa de licitação se justifica  em situações de emergência, como casos de guerra; grave perturbação da ordem; calamidade pública; obras para evitar desabamentos; quebras de barreiras; e falta de fornecimento de energia, por exemplo.

Já a inexigibilidade de licitação ocorre quando não existe competição entre os interessados, porque os valores  a serem contratados são pré-fixados.

 

Paraguaios apoiam que país seja sede da Copa do Mundo de 2030

14 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Argentina, Uruguai e Paraguai numa tríplice aliança (nada a ver com aquela do passado, que juntou os dois primeiros e o Brasil contra o Paraguai). Agora, é de paz.

Os três países estão cada vez mais unidos em favor de uma candidatura única a serem sede da Copa do Mundo de 2030.

O assunto será tratado oficialmente pelos presidentes da Argentina, Mauricio Macri, do Uruguai, Tabaré Vázquez, e do Paraguai, Horacio Cartes, em reunião no dia 4 de outubro, da qual participará o presidente da Fifa, Gianni Infantino.

Pesquisa
O povo paraguaio aprova a participação do Paraguai nesta empreitada. Uma pesquisa mostrou que 79% dos entrevistados querem que o país seja uma das sedes da Copa do Mundo, ao lado da Argentina e Uruguai.

E o governo acredita que a Copa do Mundo será “um catalisador de investimentos”, segundo entrevista do ministro de Obras Públicas e Comunicações do Paraguai, Ramón Jiménez Gaonar, à agência EFE.

Na opinião do ministro, sediar uma Copa do Mundo vai além de construir estádios de futebol. “Envolve um compromisso de desenvolvimento em todas as áreas”, disse Gaona.

Corrupção e vexame
No Brasil, antes da Copa do Mundo de 2014, também havia otimismo, entre o governo e entre a população. Deu no que deu: obras superfaturadas, corrupção campeando em praticamente todas as cidades-sede e, pra coroar, um grande vexame do Brasil em campo.

No caso da tripla candidatura, ao menos, o custo deverá ser bem menor, já que cada país deverá ter, provavelmente, três sedes para os jogos. Quanto menos, menor a chance de corrupção. Ou não?

De volta
Se a ideia dos três países se concretizar, a Copa do Mundo volta à América do Sul justamente no seu centenário. E, vale lembrar, a primeira foi disputada exatamente no Uruguai, em 1930.

Mas a candidatura enfrenta dois pesos pesados: a Inglaterra e a Coreia do Sul já manifestaram interesse em sediar o Mundial de Fubetol de 2030.

Atraídas por desenhos e recortes, mais de 1.500 crianças participam de oficinas na Feira do Livro

14 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

Enfim, uma notícia mais do que boa.

Mais de 1.500 alunos da rede municipal participam, até amanhã (15), de oficinas organizadas pela Itaipu Binacional e pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI), na Feira Internacional do Livro de Foz do Iguaçu.

As oficinas foram pensadas para aproximar as crianças e adolescentes da ciência e da literatura. As atividades envolvem desenhos com ilusão de ótica, pintura e recorte sobre astronomia e haikais sobre a natureza.

A  analista ambiental do Programa PTI Educação e Cultura, Jéssica Nogueira Marques, conta que as oficinas estão sendo oferecidas pela Estação Ciências e pelo Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho, e pelo Programa de Educação Ambiental da Itaipu. As atividades são desenvolvidas nos períodos da manhã e à tarde com alunos do ensino fundamental.

Foto e informação: PTI

Projeto social da AFA “batiza” 50 capoeiristas

14 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Leia mais...

Mais lidas