Comece a treinar! Vem aí o torneio de arremesso de celular

10 de setembro de 2017 | Postado por

Foto: Nilton Rolin

Celular velho, que já não funciona, que não tem conserto, serve pra quê? Pra jogar no lixo e poluir a natureza? Negativo. Serve pra jogar bem longe e concorrer a prêmios.

Se você tem celular que já não presta mais, treine para arremessá-lo o mais longe possível. Você tem três semanas pra ficar craque.

No dia 1° de outubro, leve essa experiência ao Gramadão da Vila A e participe do Torneio Sul-Americano de Arremesso de Celular, que chega agora à 10ª edição.

E sabe o que mais? Além de concorrer a prêmios – são dezenas, de passeios e mordomias em Foz até uma viagem ao Nordeste (detalhe sobre este prêmio você vai ler primeiro aqui no Não Viu?)-, você vai contribuir com a natureza, que fica livre deste perigoso lixo eletrônico, e ainda contribui com entidades assistenciais.

É isso mesmo, para participar é preciso doar dois quilos de alimentos não-perecíveis. Quase nada, não é mesmo, considerando a alegria da disputa, a possibilidade de prêmios e a sensação de dever cumprido.

E, se você tem em casa produtos eletrônicos imprestáveis, aproveite pra se livrar deles. Haverá no Gramadão um local para recebimento de resíduos eletrônicos. A iniciativa já conseguiu evitar que 28 toneladas desse lixo fossem para os lixões, onde seriam altamente prejudiciais ao meio ambiente, por conterem uma série de elementos nocivos que não se degradam facilmente.

Tradição
O torneio de arremesso de celular existe em Foz do Iguaçu desde 2008, e faz parte das comemorações de aniversário da Segurança Empresarial de Itaipu (criada em 3 de outubro).

A divertida disputa foi ideia de um dos funcionários da Segurança de Itaipu, Gabriel Campos Neto, que se inspirou num torneio criado na Finlândia no ano 2000, com regras mais rígidas (típicas de europeus, claro) e, por incrível que pareça, com muito menos competidores do que aqui.

Também aqui, a diferença é a preocupação social, com arrecadação de alimentos para instituições de caridade. Desde a primeira edição, já foram destinadas a essas entidades mais de 31 toneladas de alimentos, parte obtida com as inscrições e outro tanto (bem maior) doado pelas empresas que apoiam o evento.

No ano passado, por exemplo, houve recorde de doações: 10,2 toneladas, das quais pouco mais de nove toneladas vieram de empresas e uma tonelada foi obtida com a inscrição de 441 participantes (número que jamais foi alcançado no torneio finlandês, modéstia à parte).

Este ano, já está confirmada a doação de 10 toneladas de alimentos pelas empresas parceiras, segundo Gabriel Campos Neto.

Atrações
Quem for ao Gramadão, nem que seja só para assistir ao torneio, contará com uma série de atrativos, como um espaço para brincadeiras das crianças, exposição de carros antigos e até um posto de saúde para exames de HIV, sífilis, hepatite, pressão arterial, diabetes e glicemia.
Tudo gratuitamente.

Sem contar brindes como bonés, camisetas e mudas de árvores nativas. Ah, claro, e o posto de recebimento de resíduos eletrônicos.

Premiações
Para os participantes da competição, haverá dezenas de prêmios. Sem entrar em detalhes, estão na lista diárias em vários hotéis, passeios nos atrativos da cidade (inclusive sobrevoos de helicóptero sobre as Cataratas), ingressos de cinema (Cine Cataratas) e almoços no Porto Canoas.

E tem ainda o grande prêmio, que você fica sabendo primeiro aqui: um pacote de viagem para Maceió, Alagoas, que inclui: passagens aéreas da Gol, ida e volta, com acompanhante; e quatro noites em apartamento duplo no Hotel Ponta Verde, que fica na Praia do Francês, com direito a café da manhã.

Mas este prêmio especial vai exigir muito treino. Ele está destinado ao competidor que arremessar o seu celular a uma distância ainda maior que o recorde atual do evento. O recordista foi o comerciante José Bonfim Júnior, que em 2014 arremessou o seu celular a 102,03 metros.

E se ninguém quebrar o recorde? Aí, vale a sorte. O prêmio será sorteado entre todos os inscritos, no dia do evento.

Últimas do Blog