Empresa de Foz mostra como usar a realidade virtual na educação

21 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Um pequeno estande com a demonstração de alguns usos da realidade virtual, em treinamento e na educação, acabou se tornando a vedete do 23° Congresso Internacional Abed de Educação a Distância, que reúne especialistas, professores e estudantes até esta quinta-feira (21), no Hotel Recanto, em Foz do Iguaçu.

Com apenas dez meses de existência, a empresa Imersys, com sede em Foz, mas que reúne profissionais também de Curitiba e Campinas, apresentou ao público pela primeira vez o seu projeto AmbIA – Ambiente Imersivo de Aprendizagem.

Óculos e controladores especiais permitem não apenas entrar num ambiente de realidade virtual, como interagir com esse ambiente e “tocar” ou manusear os objetos existentes. Um dos materiais em realidade virtual foi usado, por exemplo, para treinamento de técnicos de uma grande empresa.

Cenários em 3D exatamente iguais ao ambiente industrial dessa empresa possibilitam ao treinando se familiarizar com as áreas em que vai atuar na prática, inclusive no manuseio de delicados e importantes equipamentos que controlam máquinas de produção.

Esta mesma tecnologia pode ser aplicada na criação de laboratórios virtuais, para praticamente qualquer disciplina. Se utilizado em educação a distância, o sistema AmbIA também permite a interatividade entre alunos e professores, ampliando o processo de aprendizagem.

    

Apoio

A empresa conta, desde sua criação, com o apoio da produtora de cine e vídeo Vision Art. Seu primeiro contrato foi para o desenvolvimento de um vídeo de realidade virtual em 360 graus para Itaipu, apresentado nos estandes promocionais da usina, Brasil afora.

O vídeo impressiona pelo realismo e, principalmente, por apresentar a usina de uma forma impossível de ser percebida mesmo por quem nela trabalha, já que faz uma devassa na barragem para mostrar, por exemplo, o caminho da água até o interior de uma unidade geradora.

Leia mais…

Vereadores, unidos, querem a volta do escritório do Cohapar para Foz

20 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

Foto: CMFI

Os quinze vereadores de Foz do Iguaçu assinaram um requerimento, que será apresentado na sessão de amanhã (21) da Câmara Municipal, pedindo ao governador Beto Richa o retorno do escritório da Cohapar (Companha de Habitação do Paraná) para o município.

O escritório em Foz foi fechado recentemente pelo governo do Estado e transferido para Cascavel, sem motivo aparente.

No mesmo documento, os vereadores pedem um projeto habitacional para atender funcionários do Estado que trabalham em Foz.

 

Cruzeiro entre Corrientes e Puerto Iguazú vai custar quase R$ 13 mil

20 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

Um pelicano em Galápagos. Foto: Pixabay

No próximo ano, a empresa equatoriana Quasar Expeditions oferecerá passeios pelo Rio Paraná entre as cidades de Corrientes e Puerto Iguazú, com paradas intermediárias, pelo custo de até US$ 4 mil (cerca de R$ 13 mil), o equivalente a US$ 800 a diária.

As informações são dos sites Missiones Online e Click Foz. A empresa já realiza cruzeiros de luxo nas Ilhas Galápagos.

O navio, com capacidade até 30 passageiros, que está sendo comprado na Itália por US$ 5 milhões para ser modernizado na Argentina, realizará viagens de quatro a cinco noites, com paradas intermediárias em pontos turísticos.

A expectativa é que os passageiros possam visitar as Ruínas de San Inácio e tenham contato com a natureza em expedições ao longo do trajeto até as Cataratas do Iguaçu.

Sistema Empresa Fácil, em Foz, emperra justamente quando é a vez da Prefeitura

20 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Leia mais...

Da série “o que Foz ganha com a Ecocataratas?” Nem passarela

20 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Para chocar: o corpo no asfalto é de um idoso que tentou atravessar a BR-277 na região de Três Lagoas. Foto: Tribuna Popular

Não é só o caos no trânsito da Avenida Paraná na confluência (e incluindo-a) com a BR-277 que Foz do Iguaçu é prejudicada pelo Porto Seco e pela ausência da Ecocataratas. Ainda mais grave é a situação para os moradores do bairro Três Lagoas.

A região é dividida ao meio pela BR-277, e muitos moradores precisam atravessar a pé a rodovia, diariamente, até mesmo para ir ao trabalho (há gente que mora de um lado e trabalha na margem oposta). Isso se traduz em risco de acidentes. Só no ano passado, nove pessoas foram atropeladas.

E o que se faz em favor desta população? Nada. O que os moradores querem é uma passarela que permita a travessia da BR com segurança. Na segunda-feira à noite, os moradores se reuniram na praça central do bairro para mais uma vez pedirem providências, como noticia a Gazeta Diário.

Os vereadores Nanci Rafain Andreola e Celino Fertrin estavam lá. E ouviram dos moradores que o Departamento de Estradas de Rodagem já tem posição formada sobre o assunto: não há necessidade de passarela. Claro que nenhum funcionário do DER mora no bairro nem tem parentes expostos ao perigo diário.

Numa estrada com tarifas de pedágio que estão entre as mais caras do Brasil (quiçá do mundo), é doloroso perceber que nem o DER e muito menos a Ecocataratas se preocupam com a vida dos moradores de Foz do Iguaçu.

Fica este registro. Que os vereadores gritem da tribuna, que a população faça protestos cada vez mais candentes, que se apele ao governador e, se preciso for, ao Papa. Mas como está não pode ficar.

Diretor de Itaipu defende privatização da Eletrobras e explica como fica a binacional

20 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Em artigo publicado nesta quarta-feira (20), no jornal O Estado de S. Paulo, o diretor-geral brasileiro de Itaipu, Luiz Fernando Leone Vianna, defende a privatização da Eletrobras e explica por que Itaipu deve continuar uma empresa pública.

Um parêntese antes de chegar ao artigo: o governo perdeu com a Eletrobras, nos últimos 15 anos, nada menos que R$ 228 bilhões. O governo perdeu? Não, o contribuinte arcou com esse prejuízo todo, claro. Quando uma estatal vai mal, o Tesouro socorre, com dinheiro dos nossos impostos.

Em seu artigo, Vianna afirma que a “desestatização” da Eletrobras é “uma atitude corajosa”, que repete o que o governo federal fez em 1998, com a privatização da Telebras, um elefante branco que não cumpria o mínimo esperado: ofertar telefones (à época, só fixos) à população. E também só dava prejuízo.

“Em troca do controle da telefonia, o Estado ganhou não apenas com a venda, mas com investimentos, empregos e aumento da renda”, diz Vianna, dizendo que é isso o que se espera também com a venda da Eletrobras.

Quanto a Itaipu, continuará pública. Seu patrimônio “será protegido nesta nova fase prevista para a Eletrobras, que certamente será de muito sucesso”, conclui Vianna.

Leia o artigo na íntegra

Leia mais…

Em Foz do Iguaçu, trânsito é refém da Ecocataratas e do Porto Seco

19 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

As fotos postadas logo abaixo foram tiradas hoje (19) à tarde e mostram a situação do trânsito na Avenida Paraná. Quase todos os dias, os congestionamentos são constantes nessa avenida devido a dois fatores: demora no despacho de caminhões pelo Porto Seco e, em segundo lugar,  ao desvio feito pela Ecocataratas que obrigou os caminhões a passarem por baixo do viaduto da BR-277 com a Avenida Paraná, o que afunilou o tráfego.

Embora o risco de engavetamento na avenida seja alto, principalmente à noite e em dias de chuva forte, pois os caminhões ficam parados na pista de rodagem, até agora, nenhuma autoridade local tomou qualquer medida para solucionar o problema. Pelo jeito, nada se fará até que alguém morra.

Enquanto isso, o trânsito fica refém de quem parece não estar nem aí para o que ocorre na cidade. Aliás, quais os benefícios que o Porto Seco e a Ecocataratas trazem para Foz do Iguaçu?

Veja as fotos:

Nesta foto, dá pra se ver ao longe os caminhões estacionados na pista direita da Avenida Paraná.

 

Aqui, um carro é esmagado por uma carreta transportando, provavelmente, algum produto inflamável na saída do desvio construído pela Ecocataratas. Imagine, caro leitor, se ela pega fogo? Mais: como se pode ver, esse desvio interrompe o tráfego que vem da Avenida Paraná.

 

Aqui dá para ver o pequeno espaço que as enormes carretas têm para passar pelo desvio por baixo da BR- 277. O espaço parece tão pequeno para o intenso tráfego que quase desafia uma das Leis de Newton: “Dois corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço ao mesmo tempo”.

 

Este é o resultado, quase diário, causado pelo Porto Seco e a Ecocataratas. O trânsito é tão pesado que nem a usina de asfalto do prefeito Chico Brasileiro vai dar conta dos buracos que ele causa.

 

 

 

0800 410 148: o telefone contra picadas de escorpiões, aranhas e serpentes

19 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

Foto: Divulgação SESA

Você sabia (a expressão é batida, mas vale nesta notícia) que o governo do Estado mantém, em Curitiba, o Centro de Controle de Envenenamentos do Paraná (CCE) para orientar a população e profissionais de saúde sobre os encaminhamentos nos casos de picadas escorpiões, aranhas e cobras ?

O serviço tem atendimento 24 horas pelo telefone 0800 410 148.

“A agilidade em administrar o soro antiveneno em acidentes com peçonhentos pode fazer a diferença entre a vida e a morte. A orientação fornecida por telefone pode auxiliar na identificação da gravidade do caso e indicar o melhor encaminhamento”, explica a chefe da Divisão de Vigilância em Zoonoses e Intoxicações, Tânia Portella.

Em 2016, o Paraná registrou mais de 14 mil acidentes com animais peçonhentos, sendo que as picadas de escorpiões somaram 1.738 casos. Neste ano, de janeiro a setembro (dados preliminares), já foram computados 924 acidentes com escorpiões. No mesmo período de 2016, o Paraná registrou 990 casos.

No Paraná, os antivenenos para escorpiões, aranhas e cobras estão disponíveis na rede de saúde através das 22 regionais da Secretaria de Estado da Saúde e, ao todo, existem 212 centros de referência para aplicação dos soros.

Polícia Federal agora mira comércio e operação do “sky-gato”

19 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Os aparelhos estavam sendo vendidos em todo lugar. Este, por exemplo, é um dos anúncios do Mercado Livre.

As operadoras de TV a cabo cobram tão caro e oferecem um serviço tão ruim – sem contar quanto incomodam quando ocorre um atraso no pagamento e quanto demoram pra cancelar o serviço, quando se pede – que ajudaram a expandir o uso de receptores de TV via satélite, os famosos “sky-gatos”. Mas, nesta terça-feira (19), a Polícia Federal deflagrou uma operação contra o comércio e a operação desses equipamentos.

São três grupos investigados, dois deles de Porto Alegre e outro – adivinhe de onde? – Claro, de Ciudad del Este. Segundo a PF, esses grupos comercializaram, em todo o Brasil, mais de 90 mil receptores nos últimos cinco anos, movimentando nada menos que R$ 35 milhões de origem ilícita.

Jornais gaúchos informam que, na Operação Satelles, a PF está cumprindo quatro mandados de prisão preventiva, três de prisão temporária e cinco conduções coercitivas, além de dez mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela 7ª Vara Federal de Porto Alegre.

Também foi determinado o sequestro de 13 imóveis e sete veículos (patrimônio avaliado em cerca de R$ 4 milhões) e o bloqueio das contas bancárias e aplicações financeiras vinculadas aos investigados. A Justiça Federal também determinou o congelamento dos domínios de internet utilizados pelos investigados e sites usados para a comercialização, em todo o Brasil, dos produtos eletrônicos contrabandeados.

 

Polícia de Ciudad del Este apreende cem iPhones falsificados

19 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Celular, no Paraguai, é quase sempre bem mais barato que no Brasil. Mas exige uma certa cautela na hora da compra.

Ontem mesmo (segunda, 18), a polícia paraguaia apreendeu uma carga de cem iPhones 7, numa rua no centro de Ciudad del Este.

A nota fiscal apresentada aos policiais, em nome do Serena Group, não coincidia com a descrição dos celulares que transportava. A conclusão é que eram falsificados.

Se for comprar celular, tenha certeza de que conhece bem o aparelho ou leve um expert. Mas, claro, há lojas confiáveis em Ciudad del Este que praticamente dispensam esses cuidados. É fácil saber onde o risco é maior.

Fonte: La Nación

Onde estão as flores da Avenida Brasil?

19 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Na chegada da primavera de 2015, foi um furor: do início ao fim da Avenida Brasil, patas-de-vaca, ipês e outras espécies de árvores explodiram em flores e cores; em 2016, a festa da florada não foi tão animada, mas ainda garantiu um espetáculo. E este ano?

O verde, quase que só o verde, dá o tom na principal avenida de Foz. Quebrado, aqui e ali, pelas flores dos pergolados; e pelo branco dos ipês que conseguiram florir, mas são poucos, muito poucos. Veja as fotos:

     

O que explica isso? O calor deste inverno? A falta de chuvas? Ou a junção destes dois fenômenos? O certo é que, no ritmo da florada, que timidamente aparece em poucas árvores, a Avenida Brasil não despertará milhares de “likes” Brasil afora, como as fotos postadas pela jornalista Patrícia Iunovich (hoje superintendente de Comunicação Social da Itaipu em 2015.

Confira só umas amostrinhas das centenas que ela publicou naquele ano:

       

Projeto que regulamenta venda de cães e gatos em Foz prevê multa de R$ 384 mil

18 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

Amanhã (19), será apresentado na sessão da Câmara de Foz do Iguaçu um projeto de lei, de autoria do vereador Protetor Jorge, que regulamenta a comercialização no varejo de cães e gatos no município.

Na justificativa do projeto, o vereador relata a existência das mais diversas crueldades cometidas contra os animais, principalmente, por alguns criadores de fundo de quintal “que veem apenas a exploração comercial”.

Sem contar outros tipos de mau- tratos, entre as crueldades se destacam:

1-) O abandono de animais que nascem com deformações e outros problemas de saúde devido, principalmente, ao cruzamento entre parentes;

2-) Machos e fêmeas reprodutores confinados em gaiolas durante toda a vida;

3-) E a manutenção de animais em locais com péssimas condições.

Se o projeto for aprovado, quem descumprir a Lei vai ter de pagar multa de 10  a 5 mil UFFI (Unidade Fiscal de Foz do Iguaçu). Como cada unidade é de R$ 76,80, as multas variarão entre R$ 768,00 e R$ 384 mil – isso mesmo: R$ 384 mil.

Multinha salgada, não? Deve ser erro de digitação. Em todo caso, temos de divulgar.

Como um camelô, Piolla vai a Dubai buscar investimentos para Foz

18 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

foto: PMFI

O secretário de Turismo, Industria, Comércio e Projetos Estratégicos, Gilmar Piolla, vai colocar debaixo do braço vários projetos estratégicos para Foz do Iguaçu e viajar para Dubai.

Ele pretende participar da Feira de Investimentos em Dubai, que será realizada entre os dias 9 e 11 de abril de 2018, na tentativa de convencer empresários de várias partes do mundo a investirem em Foz do Iguaçu.

“Iremos selecionar alguns projetos estratégicos de interesse público e também da iniciativa privada para levarmos à feira de Dubai, que é uma das feiras de investimentos mais importantes do mundo. Será uma excelente oportunidade participar. Agora precisamos iniciar as tratativas junto ao governo do estado para que possamos fazer uma participação conjunta na feira de 2018 e, quem sabe, captar investidores estrangeiros para o turismo de Foz e para outros setores”, disse Piolla.

A edição deste ano da Feira de Dubai reuniu delegações de 140 países e um público de quase 20 mil pessoas.

O anúncio só foi feito hoje, depois de uma visita do diretor da feira, Walid Farghal, acompanhado do diretor de Relações Internacionais do município, Jihad Abu Ali, e de Piolla, ao prefeito Chico Brasileiro, na quinta-feira (14).

 

 

Cão farejador: a eficiente “arma” da PRF na fronteira

18 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

Leia mais...

Internacional é condenado por assédio a historiadora do museu do clube

18 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

O Sport Club Internacional de Porto Alegre (RS) deverá indenizar uma historiadora vítima de assédio moral praticado por jogadores de sua categoria de base. A trabalhadora receberá R$ 5 mil, depois que a Oitava Turma do Tribunal Superior do Trabalho rejeitou o recurso do clube contra a condenação imposta pelo segundo grau trabalhista.

A historiadora disse que trabalhou no museu do clube durante três anos e pediu demissão por considerar insustentável o tratamento que recebia dos jogadores da categoria de base, que constantemente se referiam a ela no refeitório com comentários do tipo “gostosa”, “cheirosa”, “linda”, e com assobios e risadas.

Ela afirmou que comunicou o fato a sua superior hierárquica, que teria dito para “não dar bola”, e à assistente social, que lamentou, mas disse que nada poderia fazer, pois os atletas de base tinham muito prestígio com a direção.

Fonte: TST

Digitar e dirigir aumenta em 400% o risco de acidente

18 de setembro de 2017 | Postado por Vinicius Ferreira

A  Semana Nacional de Trânsito começa hoje e vai até o dia 25 de setembro, e a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) da Itaipu Binacional vai divulgar diariamente dicas importantes. A primeira delas é bem curiosa e alarmante:

“Lembre-se, a sua escolha pode fazer a diferença em relação à segurança de todos. E a dica de hoje é em relação ao uso do celular. Digitar e dirigir aumenta em 400% o risco de se envolver em um acidente de trânsito.

Cinco segundos é o tempo que você leva para digitar o número de um telefone. Nesse tempo, você percorrer uma distância de 140 metros se estiver a uma velocidade de 100 km/h.

Dirigir segurando ou manuseando o celular é considerada uma infração gravíssima de trânsito, sujeita a multa no valor de R$ 293,47, mais sete pontos na habilitação”.

No Oeste, Foz é o município que mais emprestou dinheiro da Fomento Paraná

18 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Foto: Caio Coronel

Foz do Iguaçu é o município do Oeste paranaense que tem a maior dívida com a Fomento Paraná, do governo do Estado.

Para o setor público, Foz obteve R$ 25,8 milhões desde 2011; para o setor privado, outros R$ 9,5 milhões. Cascavel ficou em segundo lugar, com R$ 15,9 milhões no setor público e R$ 9,5 milhões no privado.

Os projetos financiados do setor público levam em conta fatores como geração de emprego e renda, inclusão social, desenvolvimento do município e investimentos em infraestrutura, no caso do setor público.

No setor privado, os empréstimos atendem principalmente micros e pequenos empreendedores.

O empréstimo da Fomento Paraná oferece dinheiro a juros baixos, com prazo de dez anos para pagamento. No caso de municípios com Foz do Iguaçu, com mais de 100 mil habitantes, a taxa de juros é a TJLP mais 6,50% ao ano.

Fica só a dúvida: quase a totalidade dos empréstimos foi feita na “era Reni”. Espera-se que o endividamento tenha servido, de fato, para obras importantes, sem sobrefaturamento ou outras artimanhas a que já nos acostumamos por aqui.

Eles querem o Palácio Iguaçu

18 de setembro de 2017 | Postado por Cláudio Dalla Benetta

Leia mais...

Mais lidas